Ir al contenido

O legado da conquista e da colonização na Colômbia deixou comunidades e culturas complexas, que cativam por seu conhecimento ancestral.

Hamilton Mego

Peruano

Encuesta

Você utiliza aplicativos para dispositivos móveis com informação sobre destino quando viaja para Colômbia ou outros países?

Resultados
interna_colombia_historia.jpg

Estás en:

História Colombiana

Parque Arqueológico de San Agustín /Fot. http://www.flickr.com/photos/mario_carvajal/2851219262/sizes/l/.

Nossa história começou antes da Conquista. /Fot. mario_carvajal

Arqueologia e história

A Colômbia tem uma história milenar antes da conquista, e em diversos lugares ainda está vivo o testemunho do seu passado indígena. Em San Agustín, departamento de Huila, conservam-se monolíticos que representam deuses e guerreiros. Na zona de Tierradentro (Cauca), o viajante pode percorrer os hipogeus, complexos funerários com câmaras subterrâneas.

Do Parque Tayrona, na costa Caribe, sobe-se por um caminho empedrado até as ruínas de Pueblito, cidade de pedra construída pelos Tayronas, uma avançada cultura pré-hispânica cujo legado de ourivesaria se pode admirar no Museu do Ouro de Bogotá e no Museu da cultura Tayrona em Santa Marta.

A Colômbia tem um valioso passado colonial arquitetônico e cultural que se conserva em muitas cidades e povoados.

A Colômbia pré-colombiana

Mais de doze culturas habitaram o território colombiano antes da conquista e deixaram testemunho do elevado nível de desenvolvimento que atingiram. Cidades e caminhos de pedra, estátuas, urnas funerárias e refinadas peças de ouro e cerâmica fazem parte da herança que hoje nos permite conhecer sua forma de vida e crença.

Os muiscas, situados no planalto cundiboyacense, eram um povo de agricultores. Foram excelentes ourives e oleiros e deixaram incalculáveis tesouros. O mito do El Dorado, que inspirou a conquista do interior do continente, teve sua origem na cerimônia de investidura do novo cacique que, cobertos de ouro, dirigia-se numa balsa para o centro da lagoa de Guatavita acompanhado de seus sacerdotes.

A olaria e ourivesaria também se destacam nas culturas Quimbaya, Sinú, Tayrona e Calima. Suas obras podem ser apreciadas no Museu do Ouro do Banco da República, no Museu Arqueológico Casa do Marqués de San Jorge e no Museu Nacional, em Bogotá; no Museu da cultura Quimbaya em Armênia; no Museu da cultura Tayrona em Santa Marta e no Museu da Cultura Sinú em Cartagena. Em galerias especializadas se podem adquirir réplicas elaboradas com as mesmas técnicas que utilizaram os grupos indígenas.

Barrio La Candelaria, Bogotá /Fot. http://www.flickr.com/photos/trevino/3317622327/sizes/l/.

O Bairro da Candelária, Bogotá /Fot. trevino

A Colômbia colonial

Na terceira década do século XVI começaram as fundações de cidades. Distribuiu-se a terra entre os conquistadores, organizou-se a exploração das minas de sal, ouro e esmeraldas e se implantou o cristianismo. Com a chegada dos espanhóis e o trabalho dos africanos, trazidos como escravos, intensificou-se a mestiçagem.

A poucas horas de Cartagena de Índias se encontra Mompox, porto no rio Magdalena que se converteu em centro de comércio e vila senhorial. Sua arquitetura produziu obras destacáveis como a Igreja de Santa Bárbara e o Colégio Pinillos.

A capital do Vice-Reinado se estabeleceu em Bogotá, sede do governo espanhol e da alta hierarquia eclesiástica. No bairro da Candelária e seus arredores se conservam casas e templos que guardam seus tesouros. Muitas destas construções se converteram em museus onde se podem apreciar as manifestações artísticas e culturais de nossos ancestrais.

Popayán e Tunja conservam bairros coloniais cheios de encanto: suas igrejas guardam retábulos barrocos forrados em lâminas de ouro e em suas ruas estreitas, praças calmas e residências senhoriais, se sente que o tempo não passou.

Por toda Colômbia há povoados e cidades que recordam a importância das fundações do período colonial.

A posição estratégica de Cartagena de Índias, principal mercado de escravos da América do Sul, fez com que a cidade fosse cobiçada por corsários ingleses que com regularidade tentavam tomá-la. Construíram-se fortalezas que a converteram no porto mais protegido da América. Em seu recinto amuralhado se conserva o centro histórico, com importantes construções civis e religiosas, tesouros pelos que foi declarada Patrimônio Histórico da Humanidade.

Honda teve uma grande importância por ser ponto intermédio na ascensão de viajantes e de cargas para Bogotá durante a Colônia e até o século XIX, e ainda conserva sua formosa arquitetura e suas ruas empinadas.

Por toda a geografia colombiana há povoados e cidades dispersos, que recordam a importância das fundações do período colonial e guardam incalculáveis tesouros arquitetônicos, como Pamplona no Norte de Santander, Girón e Barichara em Santander, Vila de Leyva em Boyacá e Santa Fé de Antioquia, perto de Medellín. Nos lugares que foram palco da luta pela emancipação de Espanha se encontram relíquias que comemoram as guerras de independência.

A mistura de raças trouxe ao país e ao mundo expressões culturais de grande valor nos campos da música, das artes plásticas e das letras, como o atestam escritores e artistas cujas obras se podem admirar nos museus, galerias, bibliotecas e espaços públicos do país.

Contato

Proexport Colombia
Calle 28 A Nº 13A-15 Piso 36
E-mail: Correo electrónico info ARROBA colombia PUNTO travel

Colombia | Marca País Ministry of Commerce, Industry and Tourism Fondo de Promoción Turistica Proexport Colombia